Água-Marinha

(fonte: www.mindat.org)

Essa semana vamos falar de uma gema azul muito apreciada e valorizada: A radiante água-marinha

1) Nomenclatura

A Água Marinha, com sua tonalidade azul e translúcida, tem a origem do seu nome derivado do latim “aqua marina”, que significa “água do mar”. Esta designação é uma homenagem à sua cor ser semelhante à água cristalina dos mares tropicais. Pedra preciosa pertencente à família do berilo, a água-marinha é conhecida por sua coloração que varia de azul esverdeado ao azul profundo e é apreciada por sua beleza e elegância atemporal.

(fonte: www.mindat.org)

2) Principais características

Formada em profundidade dentro da crosta em uma rocha chamada de pegmatito, a água-marinha, mineral composto principalmente por berílio, alumínio, silício e oxigênio, apresenta sua distinta cor azul graças ao ferro, elemento cromóforo que, em traços na estrutura cristalina do berilo, absorve certas cores do espectro luminoso. Quanto maior a presença de ferro, mais intensa é a tonalidade azul da gema. Essa composição química específica, aliada a fatores como a estrutura cristalina e a possível existência de inclusões, contribui para as variadas nuances de azul e as texturas cristalinas internas encontradas nas águas-marinhas.

Reconhecida por sua coloração que varia de tons pálidos a azuis profundos, a água-marinha é apreciada também por sua notável transparência, embora possa conter pequenas inclusões, as quais, em grande quantidade, conferem um aspecto leitoso à gema, sendo lapidadas em formato cabochão.

Além de sua beleza, a água-marinha destaca-se por sua durabilidade e dureza, atingindo 7,5 na escala de Mohs, tornando-a uma escolha ideal para joias de alta qualidade.

(fonte: Ignius)

3) Tratamentos

Na natureza, a presença de ferro (Fe3+) em pontos específicos da estrutura cristalina das águas-marinhas geralmente resulta em uma tonalidade azul esverdeada, devido à absorção de luz que produz uma percepção de cor amarela. Essa mistura de amarelo com azul resulta em um tom verde, menos desejado.

Para remover a cor amarela e manter apenas o azul, é necessário modificar ou reduzir o estado de valência do Fe3+ para Fe2+. O tratamento térmico é o método mais comum para realizar essa transformação e intensificar ou uniformizar a tonalidade azul das águas-marinhas esverdeadas.

Com avanços nas técnicas de tratamento térmico, é rotineiro submeter o material a temperaturas entre 250-550°C por um período de minutos a algumas horas. Esse processo reduz a valência do Fe3+ para Fe2+, transformando as gemas em uma tonalidade azul estável, mais valorizada comercialmente.

(fonte: cursodegemologia.com.br)
Ao lado direito Água-marinha tratada termicamente, e a esquerda não tratada.

Tratamentos por radiação também são aplicados em certos tipos de berilos incolores de modo a simular as cores da Água Marinha, por exemplo o “Maxixe”. Porém a cor geralmente não é estável e esmaece se exposta a luz.

Recomendamos que os consumidores devam buscar informações sobre a autenticidade das pedras preciosas com Gemólogos qualificados.

(fonte: Ignius)

4) Imitações

Devido à sua popularidade e beleza, a Água Marinha pode ser substituída por uma outra gema natural na joalheria de valor inferior como o Topázio Azul.

Já dentre as imitações sintéticas mais comuns é possível incluirmos o vidro colorido, o quartzo sintético e o espinélio sintético, que tentam replicar sua aparência deslumbrante.

(fonte: www.gem.agency)

5) Inclusões e outras características

As inclusões são características internas das gemas que podem fornecer informações valiosas sobre sua formação e autenticidade. A maioria das águas marinhas facetadas são desprovidas de inclusões visíveis a olho nu.

Os tipos mais comuns de inclusões são:

  • Inclusões de Rutilo: São agulhas douradas ou acastanhadas de rutilo, um mineral de dióxido de titânio, que aparecem como inclusões finas ou aglomeradas dentro da gema.
  • Inclusões de Feldspato: Pequenas inclusões de feldspato, um mineral comum na crosta terrestre, podem ser vistas em águas-marinhas. Essas inclusões geralmente aparecem como pequenos cristais brancos ou transparentes.
  • Inclusões de Mica: A presença de inclusões de mica, um grupo de minerais que se destacam em finas camadas, pode conferir um efeito sedoso ou brilhante à gema.
  • Inclusões de Fluorita: Inclusões de fluorita, um mineral transparente ou colorido, também podem ser encontradas em águas-marinhas. Essas inclusões podem variar de pequenos cristais a aglomerados maiores.
  • Inclusões fluidas ou gases: É comum encontramos pequenas inclusões fluidas ou de gases que foram retidos no interior dos cristais de água marinha durante sua formação. Em raras ocasiões estas inclusões podem se agrupar de maneira geométrica e formar um “Helix” inclusões curvas ou em forma de espiral.

É importante notar que a presença e o tipo de inclusões podem afetar a aparência, o valor e a autenticidade da água-marinha. Enquanto algumas inclusões podem adicionar caráter e beleza à gema, outras podem diminuir sua qualidade percebida.

Pedras com inclusões visíveis a olho nu são geralmente transformadas em cabochões, contas ou esculturas. Quando há inclusões paralelas concentradas – geralmente tubos longos, ocos ou cheios de líquido – estes cristais são lapidados em forma de cabochon para evidenciar o efeito óptico de asterismo (olho de gato).

(fonte: www.aigsthailand.com)

6) Ocorrência

As principais fontes de Água Marinha incluem países como Brasil, Nigéria, Madagascar e Paquistão. Esta gema é frequentemente encontrada em pegmatitos e depósitos aluviais. Sua ocorrência está associada a condições geológicas específicas que contribuem para sua formação. Segue o mapa:(fonte: gemporia.com)

7) Curiosidades

Seu status como uma gema valiosa remonta a séculos. Com a descoberta no século passado de várias minas no Brasil e em outros continentes como Asia e África a água-marinha alcançou uma maior popularidade no mundo da joalheria.

Um exemplo icônico é o conjunto de águas-marinhas 100% brasileiras presenteadas em 1953 pelo então embaixador brasileiro em Londres, Assis Chateaubriand, à Rainha Elizabeth II.

(fonte: people.com)

Além de sua beleza e valor estético, a Água Marinha carrega consigo uma série de curiosidades e significados simbólicos. Na antiguidade, acredita-se que era usada como um talismã para proteção e coragem durante viagens no mar. Ela também é considerada a pedra de nascimento do mês de março, tornando-a um presente popular para aqueles que celebram seus aniversários neste mês.

(fonte: estatediamondjewelry.com)

 

Iniciar conversa
Fale conosco pelo Whatsapp
Escanear o código
Olá
Como podemos ajudá-lo? 💎🧐🔬